PAGANISMO E NEO-PAGANISMO

sábado, 4 de fevereiro de 2012


Falar sobre Neo-Paganismo, em geral, é difícil, pois tem inúmeras Tradições diferentes… e sub-Tradições diferentes dentro da própria Wicca, que é a vertente mais conhecida do Neo-Paganismo europeu, hoje em dia.
A diferença é que o Paganismo europeu existiu numa era pré-Cristã, e muito se perdeu, durante guerras e conquistas de povos, ao longo da história. A maioria do que conhecemos hoje em dia, são ensinamentos passados oralmente e/ou em livros da literatura clássica grega.
Mas a maioria dos conhecimentos, são estudos de anos e anos em busca das tradições perdidas, principalmente orais, que se perderam ao longo do tempo. Principalmente na Idade Média, onde o medo da tortura, de ir pra forca ou a fogueira, falava mais alto. Então, os pagãos transmitiam a maioria dos conhecimentos, oralmente… pelo medo de algum grimório ser descoberto ou qualquer artefato diferente, que poderia condenar a pessoa como herege.
Então, todos os instrumentos de magia, eram disfarçados como objetos comuns da casa, pra não passar por suspeita.

O Neo-Paganismo europeu, que existe hoje, são religiões modernas e adaptadas a vida contemporânea do nosso século. Já que não se pode mais viver como na Idade Média ou pré-Cristã, right? São religiões “reconstrucionistas”, que buscam o conhecimento antigo, porém adaptados a nossa realidade.
E a maioria das Tradições, hoje em dia, são até misturadas com idéias de outros “caminhos”, como o Espiritismo e etc, já que não negamos o “novo”, não nos fechamos para idéias diferentes e, muito menos, somos contra as Ciências.

O que eu acho ótimo no Neo-Paganismo, é que você não é preso a uma idéia fixa ou dogmas. Somos livres para aceitar as evoluções do mundo contemporâneo e caminhar junto ao bem estar da comunidade e do mundo, e nunca contra elas. Fazendo cada um a sua parte, para um mundo melhor.

A Wicca, em especial, que é a religião Neo-Pagã mais conhecida, é uma religião matrifocal, xamânica e politeísta.

Aliás, muitos pagãos são também eco-ativistas, pois damos muita importância a conexão com a Natureza, porque também somos animais e fazemos parte dela. Então, caminhamos com seus ciclos naturais sazonais e lunares, assim como no antigo Paganismo.